segunda-feira, 8 de novembro de 2010

ESTRATÉGIA DE ENSINO: LISTA DE DISCUSSÃO POR MEIOS INFORMATIZADOS


A lista de discussão é utilizada para aprofundamento de objetos de estudo, tornando-se uma estratégia própria ao momento de construção e de elaboração de sínteses contínuas.
O tema é estabelecido coletivamente, ou proposto pelo professor a partir do caminho já iniciado pelo grupo, podendo os estudantes participar com perguntas ou respostas completas e/ ou parciais, elaboradas de novos elementos conceituais ou confirmação dos já construídos, adesões e divergências, cabendo ao professor um acompanhamento do processo.
A participação dependerá do processo de mobilização efetivado e possibilita a construção do conhecimento por meio da problematização, da significação, da práxis, da continuidade e ruptura, já citados nos elementos da metodologia dialética.
Essa é uma estratégia inovadora, que depende de algumas condições concretas para sua operacionalização (Existe ainda parcela significativa de nosso alunado que não possui o acesso domiciliar a esses recursos, devendo o professor considerar tal elemento, não como bloqueador do processo, mas como dado de realidade a ser levado em conta para exigências quanto à participação de todos os estudantes. As instituições superiores têm instalado, em sua infra-estrutura, laboratórios que devem ser cada vez mais disponibilizados, inclusive com revisão dos horários e dias de atendimento), porém que responde ao hábito já existente, em uma parcela da comunidade acadêmica, de consulta e acesso aos meios informatizados. De uma maneira geral, os estudantes gostam de utilizar a tecnologia e os contatos informatizados.
Em suma: É a oportunidade de um grupo de pessoas poder debater, à disciplina, um tema sobre a qual sejam especialistas ou tenham realizado um estudo prévio, ou queiram aprofundá-lo por meio eletrônico
Dinâmica da atividade: Organizar um grupo de pessoas para discutir um tema, ou vários subgrupos com tópicos da temática para realizar uma reflexão contínua, debate fundamentado, com intervenções do professor, que, como membro do grupo, traz suas contribuições. Não é um momento de perguntas e respostas apenas entre estudantes e professor, mas entre todos os integrantes, como parceiros do processo.
É importante o estabelecimento do tempo-limite para o desenvolvimento da temática. 
Esgotando-se o tema, o processo poderá ser reativado a partir de novos problemas.
Processos de Ensinagem na Universidade - Léa das Graças Camargos Anastasiou - Leonir Pessate Alves. Digitado e disponibilizado pela autora do blog: Alessandra Amato.
Imagem: ntechapeco.pbworks.com